10 GRANDES CENAS DE IMPROVISO NO CINEMA [PARTE 2]

Como prometido, estou trazendo para vocês mais uma leva dos improvisos mais impagáveis do cinema! Na primeira lista, clássicos como “Laranja Mecânica”, “O Silêncio dos Inocentes” e “Blade Runner, o Caçador de Andróides” foram escolhidos devido a importância que essas produções tiveram no mundo cinematográfico. Já para essa segunda lista, além de alguns clássicos, escolhi alguns filmes menos importantes, mas que tiveram cenas de improviso sensacionais e mereceram estar presentes!

Vamos começar pelo título mais antigo dessa famigerada lista. Do diretor John Schlesinger, “Perdidos na noite” (Midnight Cowboy) de 1969 contou com um verdadeiro improviso do jovem e já talentoso Dustin Hoffman.

midnight-cowboy1

Na cena, Hoffman e Jon Voight andam pelas ruas de Nova York e no momento em que vão atravessar a rua, um táxi fura os avisos de filmagens e quase atropela os atores. Nesse momento Hoffman se revolta com o motorista e grita: “Hey, eu estou andando aqui.” gerando uma breve discussão que logo é deixada de lado, dando continuidade ao diálogo entre os atores. Toda a cena ficou tão natural, que inevitavelmente entrou pro filme.

Onze anos depois, o mundo conheceria “O Iluminado” (The Shining) de Stanley Kubrick e uma fala improvisada de Jack Nicholson, entraria para a história com uma das frases mais conhecidas do cinema!

tumblr_m120beVpKP1qa1iiqo1_1280-594x683

Fugindo do psicótico Jack Torrence (Nicholson), Shelley Duval e Danny Lloyd que interpretam mãe e filho no longa, se escondem no banheiro do hotel e Jack começa a destruir a porta com um machado de incêndio. Aos abrir uma fresta, o ator enfia aquela cara perturbadora no buraco e profere a frase: “Aqui está o Johnnye!”. Curiosamente, essa frase não estava no roteiro criado por Kubrick.

Em 87 fomos presenteados com o violento, mas excelente “Robocop” de Paul Verhoeven. Além de muitas críticas sociais e políticas, o longa apresentou um momento de improviso que deixou os atores envolvidos na cena, com uma cara de nojo inesperada.

robocop_arresting_boddicker

Quando o vilão Clarence Boddicker (Kurtwood Smith) é levado para polícia após levar uma surra do RoboCop (Peter Weller), Boddicker cospe uma bola se sangue em cima dos papéis do sargento, dizendo em seguida: “Me dê minha maldita ligação!”.

Antes de filmar, Smith e Verhoven haviam discutido sobre esse improviso, mas ninguém informou nada sobre a cuspidela aos demais atores, o que ficou evidente vendo a cara de nojo e surpresa enquanto a cena se desenrola.

OK, sei que “Debi & Lóide” (Dumb & Dumber) de 1994 não é nenhum clássico, mas Jim Carrey realmente se supera em uma cena totalmente improvisada, tornando seu personagem ainda mais imbecil!

im

Em um momento de puro improviso, Jim Carrey pergunta a Jeff Daniels e Mike Starr se eles querem ouvir o som mais bizarro de todo mundo, para logo em seguida gritar, guinchar, ou seja lá o que for que se enquadre esse som… Seguindo o ritmo, até a reação do bandido Joe Mentalino (Starr) foi improvisada, deixando a cena muito mais engraçada e natural.

“Os Suspeitos” (The Usual Suspects) de 1995, tem uma cena que se parece mais com um erro de gravação do que uma cena improvisada, nela os suspeitos tinham que falar uma mesma frase, mas ganharam total liberdade para falar como quisessem!

os-suspeitos

Christopher McQuarrie escreveu apenas uma fala para essa cena: “Me dê as chaves seu maldito boqueteiro!” – E deixou que os atores falassem da maneira que quisessem. MacQuarrie que inclusive interpretou o policial, pedia que os suspeitos fossem a frente e falassem a frase, mas quando ele pede que Benicio Del Toro fale em inglês, a reação de Del Toro é inesperada.

Matt Damon e Ben Affleck podem ter levado o Oscar de Melhor Roteiro por “Gênio Indomável” (Good Will Hunting) de 1997, mas um dos momentos marcantes do longa foi criado por Robin Williams, provando que atores de comédia geralmente fazem o seu melhor em cenas improvisadas.

indomavel(1)

A cena em que o terapeuta Sean Maguire (Robin Williams) discute os costumes flatulentos da esposa com Will Hunting (Matt Daemon), veio diretamente da cabeça de Williams e não fazia parte do roteiro original. A sequência, no entanto, ficou tão natural que foi mantida no filme pelo diretor Gus Van Sant.

Matt Damon parece ter aprendido alguma coisa com Robin Williams, já que um ano depois em “O resgate do soldado Ryan” (Saving Private Ryan), o ator resolveu improvisar contando uma estória totalmente elaborada por ele e que não falava sobre os costumes flatulentos da esposa…

O-RESGATE-DO-SOLDADO-RYAN

Durante um intervalo da guerra, Capitão Miller (Tom Hanks) se senta com o soldado Ryan (Damon) trocando estórias sobre como seria voltar pra casa. A história que Damon conta sobre seus irmãos e o celeiro foi totalmente criada por ele durante a filmagem e agradou tanto o diretor Steven Spielberg que acabou entrando no filme.

“O Virgem de 40 Anos” (The 40 Year-Old Virgin) de 2005 também não é nenhum clássico, mas merece ser lembrado aqui, principalmente pela cena onde Seth Rogen e Paul Rudd se insultam enquanto jogam videogame.

The 40 Year Old Virgin

Essa cena em que que os atores trocam insultos sobre a sua suposta opção sexual, foi completamente improvisada.

[Bônus] O número “você sabe porque eu sei que você é gay” ganhou tanto destaque que acabou se repetido em “Ligeiramente Grávidos” (Knocked Up) de 2007. A cena tem apenas alguns segundos na edição final, mas um extra no DVD mostra a cena completa com mais de seis minutos.

“Se Beber, Não Case!” (The Hangover) de 2009, é mais um filme que conseguiu apresentar cenas que o grande público dificilmente irá esquecer, e seguindo a premissa apresentada no longa, o improviso não poderia ser menos politicamente incorreto.

se-beber-não-case

Deixando alguns perplexos e outros morrendo de rir, em certo momento do filme, Zach Galifianakis resolve improvisar e simula que o bebê Carlos estaria se masturbando. Tentando minimizar o impacto causado, o ator revelou que a cena foi feita com um boneco e não com uma criança de verdade, mas brincou: “esta é uma improvisação que vai me perseguir por toda vida.”

Como começamos a lista anterior com “O poderoso chefão” (The Godfather) do mestre Coppola, nada mais justo que terminar essa, com mais um improviso impagável desse clássico!

clemenza

Além da cena do gato, temos outro improviso igualmente sutil, só que dessa vez com uma pitada de humor, que acaba apaziguando um momento de tensão.

Poucos sabem, mas a clássica frase “Leave the gun, take the cannoli” (“Deixe a arma, leve o cannoli”) não estava no roteiro original. O ator Richard Castellano deveria dizer apenas “Deixe a arma”, mas acabou “lembrando” da massa na cena e resolveu pedir para pegá-la, criando assim, uma das frases mais icônicas de todo filme!

O mundo cinematográfico está repleto desses momentos, dessas grandes sacadas. E assim como falei da outra vez, é bem complicado escolher quais deles deveriam entrar e quais deveriam ficar de fora dessa lista. Entretanto, resolvi seguir o mesmo princípio da primeira, onde preferi incluir alguns improvisos clássicos e alguns outros relevantes para mim.

Espero que tenham curtido e se conhecerem algum outro improviso, deixem ai um comentário! De repente eu faço uma [Parte 3]…

Aproveite e siga o Vambebe no Facebook, no Twitter e também no Google+.

Anúncios

Não poupe comentários. Fale bem ou fale mal, mostre a sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s