ELYSIUM: 10 MINUTOS DO FILME SÃO REVELADOS EM SÃO PAULO

Desde que mostrou suas primeiras cenas, ainda incompletas, durante a Comic-Con em julho de 2012, a ficção científica Elysium, dirigida por Neill Blomkamp(Distrito 9), se manteve em sigilo. Agora, nesta semana em que revela o primeiro trailer na web, a Sony Picturesaproveita para exibir à imprensa 10 minutos do filme, numa sessão com as presenças de Wagner Moura e Alice Braga.

Elysium se passa em 2154, quando na Terra só sobraram os pobres; os ricos vivem na estação orbital que dá nome ao filme. Esse vídeo de dez minutos esclarece alguns pontos que a prévia da Comic-Con, com seis minutos a menos, havia deixado no ar. O protagonista Max da Costa (Matt Damon) não é simplesmente um coitado operário de fábrica; ele é visto aqui respondendo aos androides policiais com sarcasmo, tem um histórico de roubo a mão armada e, como a maioria da população que sobrou em Los Angeles, é um cara forte e cheio de tatuagens.

(A trama na Terra não se passa na Cidade do México, como poderia sugerir o vídeo da Comic-Con, e sim no “Condado de Los Angeles”, como esclarece o letreiro da repartição pública onde Max vai buscar seus poucos direitos de cidadão.)

Depois de apanhar dos androides policiais por falar demais, Max vai parar numa enfermaria, onde revê Frey, a personagem de Alice Braga que é seu interesse amoroso. Max e Frey não se reencontram há tempos, e ele diz:“Estou vendo que você realizou seu sonho de se tornar enfermeira”. Entendemos que os dois têm um passado juntos, provavelmente cheio de altos e baixos, quando Frey responde, olhando para os machucados de Max: “Só espero que você não esteja se metendo em encrencas de novo”.

Atrasado para o trabalho, Max toma uma bronca do gerente da fábrica – ironicamente, ele trabalha no lugar onde se fabricam os androides policiais. Depois que o gerente diz que um ex-condenado como Max tem sorte de ter um emprego, o protagonista sofre o acidente tóxico que deixa sua vida por um fio. Ele tem poucos dias para se tratar, e só em Elysium existe a tecnologia capaz de curá-lo. Ajudado por um amigo (Diego Luna), Max então procura Spider (Moura), um conhecido seu, a única pessoa capaz de ajudá-lo a viajar para Elysium.

Depois da sessão, Moura diz que Spider não é apenas um hacker e traficante de armas e tecnologias que despreza Elysium. Ele é também uma versão no século 22 dos chamados “coiotes”, os transportadores de imigrantes ilegais da fronteira México-EUA. Spider é um inconformado que opera à margem do sistema, ignorando o papel que reservaram aos humanos que restaram na Terra. Spider consegue contrabandear pessoas para dentro de Elysium, mas Moura diz que o personagem, em si, não tem a ambição de ir para Elysium.

Viajar da Terra para a estação orbital não é fácil. No começo do vídeo vemos duas naves se arriscando na travessia ilegal, e a personagem de Jodie Foster, a Secretária Rhodes, presidente de Elysium, ordena de lá de cima que as naves sejam destruídas. Por rádio ela se comunica com Kruger (Sharlto Copley), um aparente mendigo andarilho que, debaixo de sua túnica em farrapos, tira uma bazuca. Da superfície da Terra, ele dispara dois tiros que se tornam mísseis orbitais, e Kruger destrói as naves ilegais.

Estabelece-se que Max trabalha para Spider e Kruger trabalha para Rhodes. Com telas que monitoram toda a ação, tanto o hacker vivido pelo brasileiro quanto a personagem de Jodie Foster comandam o combate em tempo real, que tem Matt Damon e Sharlto Copley como antagonistas principais. No vídeo da Comic-Con, era possível ver que Copley faz uma mistura de ciborgue com ninja (usando espada e shurikens). Neste vídeo de dez minutos, Copley aparece mais à paisana na Terra, com seu pano velho cobrindo suas armas, e depois às sombras com sua armadura com faróis (que continua lembrando Aliens). Provavelmente o visual completo do capanga vilão vai ser preservado em segredo por mais algum tempo.

Voltando à narrativa, vemos a operação que dá a Max seu exoesqueleto (“com força equivalente à de um androide”, diz Spider) e que amplia por algum tempo sua expectativa de vida. O personagem precisa de Elysium para procurar uma cura, mas a prévia de dez minutos não toca muito nisso. Na verdade, a cena mais extensa é o momento, depois da cirurgia, em que Max – ajudado pelos companheiros de Spider, entre eles o ator que vive Martinez em The Walking Dead– ataca num descampado poeirento a nave de um milionário (William Fichtner) que tem trânsito livre entre a Terra e Elysium. Obter os dados da cabeça desse milionário é o caminho para Max viajar para Elysium, e é essencial para Spider ter acesso à rede de segurança da estação espacial. Antes de ter seu crânio ligado ao de Max por um cabo de rede, o milionário diz: “Você não tem ideia do que está fazendo”.

O trecho de ação mais catártico nessa cena é quando Max usa uma metralhadora modificada – parece um fuzil AK-47 com disparador laser embutido – para se proteger dos androides do milionário. (Embora o longa se passe em 2154, a tecnologia de hoje em dia ainda é identificável no filme, como se a população da Terra tivesse que viver de ferrugens, destroços e armamentos defasados por mais de um século.) Então, com esse fuzil semimoderno, Max solta três disparos em câmera lenta, e as balas explodem pouco antes de chegar ao androide, formando um campo de energia que atinge o robô como uma onda. Corta para o lado de trás do androide, e vemos ainda em camera lenta o robô sendo despedaçado em mínimas partes.

Essa cena tem muita poeira, o que lembra bastante Distrito 9, mas dois ou três automóveis modificados remetem a Mad Max. De novo, a tecnologia parece mais próxima de nós, com pequenas modificações. Até o armamento usado na África do Sul de Distrito 9  parecia mais desenvolvido, em termos de design, do que o arsenal de Max e Spider.

Pela prévia, parece que a ação na Terra será tão frequente quanto em Elysium. Ao fim do vídeo vemos a nave de Max caido num jardim de Elysium e depois relances muito rápidos de correria em corredores da estação orbital. Mas vamos ficar por aqui para evitar spoilers.

Embora tenham falado com o público (formado por jornalistas e convidados) por quase meia hora, Alice Braga e Wagner Moura conseguiram manter segredo sobre o filme. Moura diz que cruzou com Jodie Foster no set, mas não divide nenhuma cena com ela – podemos especular que Spider não terá cenas fora do seu quartel-general – e Alice diz que Frey é só a mocinha da história e não se envolve demais na ação. O diretor pediu que a brasileira falasse algumas frases em espanhol em meio aos diálogos em inglês, mas a nacionalidade dos personagens nunca é esclarecida. Uma particularidade de Frey é que, como médica, ela tem trânsito livre entre a Terra e Elysium.

Já Spider… Questionado sobre as intenções do seu personagem – que na época da contratação de Moura era descrito como um vilão – o ator tentou desconversar: “É difícil dizer sem entregar muito. Mas o personagem é complexo, e maniqueísmo nunca é legal [para um ator]. Ele não é bom nem mau”.

Como o núcleo de personagens da Terra tem bastante espaço, os atores brasileiros aparecem bastante. Essa é a impressão que fica pela prévia (que não foi montada especificamente para o Brasil; é a mesma que foi exibida hoje nos EUA). Vamos ver se o trailer que sai nesta terça revelará muito mais.

 

Elysium-Poster

Fonte: Omelete

Anúncios

Não poupe comentários. Fale bem ou fale mal, mostre a sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s